segunda-feira, 12 de abril de 2010

Quero, Elis Regina.

Essa música me fez sonhar, esse video me fez pensar. E agir.

sábado, 10 de abril de 2010

Não conformei - vós com o mundo, mas transformai-vos renovando vossa maneira de pensar e julgar.


Essa semana eu refleti muito sobre o assunto reciclagem, parei para pensar nas coisas, e em como agimos diante dos desafios. Aqui em São Vicente – SP - têm um programa bem abrangente de coleta, existem “postos de entrega voluntária”, onde as pessoas levam seu lixo limpo e o óleo de cozinha, tem o “recicla condomínio” que disponibiliza Big Bags nos condomínios do município e recolhe semanalmente, tem a “coleta seletiva” que passa nos bairros recolhendo o lixo limpo e também temos a coleta de lixo que retira os resíduos sólidos e leva até o aterro sanitário de Mauá. Essa é a fotografia do momento atual, antigamente o lixo ia pra o “lixão do Sambaiatuba”, sem nenhum tratamento ou cuidado, lá algumas famílias moravam e viviam do lixo de forma totalmente desumana, atualmente no lugar do lixão existe o Parque Ambiental Sambaiatuba. A história de São Vicente está mudando, porém as coisas ainda são recentes, o parque foi fundado em 2002, depois de 7 anos ainda notamos que ainda podemos melhorar mais.

Aqui em casa funciona da seguinte forma, colocamos o óleo usado em garrafa pet, todo o lixo vai pro cesto que fica no condomínio, onde é depositado o lixo de todos os condôminos, há uns dois anos atrás contávamos com os cestos separados de coleta seletiva, mais por falta de manutenção ou cuidado, não tivemos êxito, sendo assim todo o lixo vai pro mesmo canto, mesmo o lixo limpo. Essa semana comecei a pesquisar como funcionam os projetos de coleta seletiva e estou tentando informar ao síndico (no caso do recicla condomínio, o síndico tem que entrar em contato com a CODESAV para que eles possam disponibilizar as Big Bags e agendar o melhor dia da coleta ).
Graças a minha mãe aqui em casa quase nada vai pro lixo propriamente dito, nem pro lixo reciclável, ela faz garrafa que vira porta-lápis, caixa de suco que vira dado, pote de sorvete que vira lembrancinha de aniversário, caixas que virão porta-treco, tampinhas se transformam em jogos e tudo isso vai pra escola onde ela trabalha, ela é professora do ensino infantil. Nesse caso o lixo aqui de casa vira luxo na escolinha e serve efetivamente pra transformar vidas.
Todo esse assunto me fez pensar nas seguintes questões:
- Será que precisamos mesmo consumir tudo que consumimos? Ta certo TEMOS que reciclar garrafa pet/ latinhas, mais será que é necessário e saudável ingerirmos refrigerantes, sucos industrializados, entre outras bebidas, tão frequentemente? Será que não é mais inteligente, diminuir (e muito) o consumo de alimentos e bebidas nem tão nutritivos e aumentar o consumo de alimentos in natura!? A feira livre está ai pra isso! Temos que ter um olhar global sobre esses resultados na nossa vida, muitas DESGRAÇAS acontecem porque não conseguimos prevenir os acontecimentos. Eu não preciso ir muito longe pra encontrar diabéticos, hipertensos, obesos, assim como não preciso andar muito pela cidade para encontrar lixo pelo chão (e contamos com a colaboração das “margaridas” por toda cidade!!) sem contar com os entulhos que são descartados em qualquer lugar (rios, praias, canais) sem o mínimo de educação ( SIM na nossa cidade temos programas de disk-entulho que recolhe tudo). Qual o resultado dessas práticas? Pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e excesso de lixo na cidade. É ai que entra o nutricionista!! (eu não podia deixar de puxar a sardinha) Ensinamos a se alimentar, a se cuidar e a diminuir o consumo daquilo que não faz bem. (Ual tudo parece mágico agora!!!)

Eu não consumo estocar as coisas, tudo o que tenho é tudo o que uso, (uma vez escoteiro, sempre escoteiro!) como isso funciona na prática? Sempre que faço aqueeela faxina no quarto, retiro tudo que não uso mais e doou ou pras minhas irmãs ou pras minhas primas. Livros e apostilas que eu não uso mais a minha mãe leva pra escola dela (ta esse é o meu ponto fraco, não consigo abrir mão disso, deixo eles na parte de cima do guarda roupas). Nas minhas coisas o ar tem que fluir sempre.
Minha última pratica para mudar (conquistar) o mundo é diminuir o consumo de carnes (boi, galinha, porco, peixe, insetos rsrs). Não me tornei vegetariana porque eu gosto de comer uma “carninha” mais depois de refletir (e muito) sobre o assunto decidi transformar minhas refeições, em vez de comer de manhã pão com queijo e presunto como só pão com queijo ou margarina (ta ainda tem rastro de bicho, mais diminuiu entendeu!?), no almoço e no jantar troquei o bife por saladas (no plural mesmo) e tirei a calabresa do feijão. Faço isso alguns dias dependendo do meu humor, mais já é uma mudança radical e minha mamis gasta menos!
Me identifiquei com a camapanha Segunda sem Carne que objetiva incentivar as pessoas a deixar de consumir carne, ao menos, uma vez por semana, tendo assim benefícios para sua saúde e a saúde do planeta. Ao diminuir o consumo de carne reduzimos, ao mesmo tempo, o desperdício de água, o desmatamento, a desertificação, a extinção de espécies, a destruição de habitats e até de biomas inteiros. De quebra, ainda ajudamos a diminuir o rebanho bovino e sua emissão de metano – poderoso agente de efeito estufa.”



Até a próxima GUERREIROS.

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Só se modifica aquilo que se tem consciência




QUEM SOU.

Olá mundo, me sinto muito feliz e honrada por estar conquistando alguns minutos da sua atenção! Estou aqui para divulgar o jogo “Caminho do Guerreiro II” do movimento Guerreiros Sem Armas, através desta página irei divulgar as atividades do desafio.

Eu sou estudante de nutrição tenho 21 anos e a cada dia descubro um novo caminho  na área que eu escolhi, eu gosto de poder intervir, auxiliando na qualidade de vida das pessoas, mudando antigos “maus” hábitos, ensinando a viver mais e melhor. Eu amo a minha (quase) profissão.

 Meu sonho é não deixar de sonhar jamais, acima de tudo SONHAR E REALIZAR todos os dias, tudo numa coisa só.

Meu maior desafio é transmitir empolgação as pessoas, de forma que todos se mobilizem para transformar a realidade.

MEU PROPÓSITO

Quero participar do guerreiro porque eu acredito no movimento, acredito nos participantes e acredito em mim. Podemos mudar o mundo!

MINHA AÇÃO

Eu já sou um GSA! Sempre participo de movimentos que valorizam as pessoas, ultimamente estive engajada em ações junto com o Oásis, atuo como nutricionista em projetos como “Ação Global” e “Dia de fazer a diferença”, planejei e executei junto com amigas, um projeto de educação nutricional em uma escola de educação infantil de São Vicente (E.M.E.I Monteiro Lobato).

MEU COMPROMISSO

Quando voltar do programa, quero regar essa sementinha que estou plantando, vendo brotar as idéias, conceito e valores que serão compartilhados. Espero poder transmitir tudo que eu aprendo e sinto, sempre.